English Site
back
5 / 06

#653 Como explicar por que estudo filosofia

December 22, 2019
Q

Olá, Dr. Craig.

Muito obrigado por seu trabalho e ministério ao longo dos anos. Este semestre comecei meu mestrado em filosofia. Como é a primeira vez que estudo filosofia academicamente, já recebi perguntas de amigos e familiares querendo saber o que estou estudando. No entanto, acho que, quando começo a explicar o que é filosofia e por que ela é importante, meus amigos e familiares ficam perdidos com o que falo e não entendem a relevância dela para o mundo. Mesmo quando procuro uma definição do que seja a filosofia, com frequência é inútil, pois ela nunca aparece em termos leigos ou é genérica demais.

Minha pergunta, então, é a seguinte: como explicar a um leigo o que é filosofia, de um jeito que ele consiga entender? Teria algum conselho ou dicas para usar? Além disso, como explicar a alguém a relevância da filosofia e de seu estudo para a vida pessoal? Especificamente, estou estudando metafísica este semestre, de modo que qualquer dica nesse sentido será muito bem-vinda.

Deus abençoe.

Anthony

Canadá

Canada

Dr. Craig responde


A

Lembro que, quando eu estudava filosofia da religião na Escola de Teologia Evangélica Trindade (TEDS), um dos meus colegas parou num posto de gasolina para abastecer o carro. Conversando com o frentista, ele disse que estava estudando filosofia no seminário.

O frentista, então, respondeu: “Ah, você vai lidar com gente problemática!”

“Não, não”, disse meu amigo. “Isso aí é para a psicologia. Estou estudando filosofia — Platão e Aristóteles, conhece?”.

“Sim, eles também eram gente problemática!”

Todos que escolhemos estudar filosofia temos de enfrentar o desafio de explicar e justificar à família e amigos por que escolhemos esta disciplina. Tendo em vista a opacidade da palavra “filosofia”, meu conselho é que você simplesmente explique às pessoas que você está estudando as questões realmente importantes na vida, como “Deus existe?”, “Será que temos alma?”, “Qual é o sentido da vida?”, “Existe vida após a morte?”, “Como conhecemos a verdade?”.

Penso que a maioria das pessoas reconheceria que estas são, de fato, questões importantes. Talvez duvidem do valor delas apenas por pensarem que não podemos chegar a nenhuma resposta. Mas aí surge a deixa para perguntar: “O que você pensa a este respeito?”, e de imediato você começou uma conversa filosófica com eles. Pergunte, por exemplo, de onde eles derivam seus valores morais. Partilhe com eles um argumento para a existência de Deus que você julgue persuasivo. Dê exemplos da riqueza que os estudos filosóficos trouxeram à sua própria vida.

Quando era estudante de graduação, pensava que a filosofia era irrelevante. Tinha a falsa impressão de que a filosofia era, basicamente, argumentar que preto podia ser branco e branco podia ser preto. Costumava atormentar alunos de filosofia perguntando qual era a utilidade da disciplina e, para sua vergonha, nunca sabiam explicar. Foi apenas quando li Introduction to Christian Apologetics [Introdução à apologética cristã], de Edward John Carnell, que meus olhos se abriram. Carnell indagava, por exemplo, “O que é a verdade?”, “Como avaliamos a verdade?”, “Por que o cristianismo é verdadeiro?”. Eram questões que pessoalmente me interessavam! Comecei a ver como a filosofia é importante na articulação e defesa da cosmovisão cristã. Esta tarefa, por sua vez, é crítica na recepção do evangelho na sociedade ocidental contemporânea. Por ser cristão, você já está comprometido com determinadas posições filosóficas, como a existência de Deus, a objetividade de valores e deveres morais, a possibilidade do conhecimento e assim por diante. Portanto, como nos disse certa vez Stuart Hackett, meu professor de filosofia na Faculdade Wheaton: “A questão não é se você vai ser filósofo. A questão é se você vai ser um bom filósofo”. O estudo da filosofia enriqueceu sobremaneira minha compreensão de Deus e meu amor da doutrina cristã. Não sou filósofo, apesar de ser cristão; sou filósofo por ser cristão!

Alvin Plantinga definiu filosofia como “pensar a fundo sobre algo”. Acho que se trata da melhor definição possível! Pensemos a fundo sobre as questões mais importantes, para a glória de Deus!

- William Lane Craig