English Site
back
5 / 06

#564 O calvinismo e a impossibilidade de viver o determinismo

October 07, 2018
Q

Dr. Craig,

Gostaria de agradecer por seu podcast, debates e demais trabalhos, dos quais, sem exceção, tenho desfrutado profundamente, tendo eles me aberto à riqueza intelectual dentro do cristianismo. Como ex-agnóstico, um dos argumentos apologéticos mais fortes contra o naturalismo, o ateísmo, e assim por diante, é a ideia de que ninguém se empenha em ser naturalista/ateu/etc. coerente. Em outras palavras, eles não podem agir de acordo com o niilismo ao qual levam logicamente muitas dessas ideias. Curioso que sou, topei com a posição do livre-arbítrio dentro do calvinismo. Ela não levaria a um problema parecido? Em outras palavras, com que se assemelha um calvinista coerente?

Leif

Estados Unidos

United States

Dr. Craig responde


A

Penso que você identificou com sucesso um problema no determinismo em geral, Leif, do qual o calvinismo é apenas um exemplo, dada a visão do calvinista de que Deus determina tudo que acontece.

Um determinista não pode viver coerentemente como se tudo que ele pensa e faz fosse causalmente determinado — especialmente sua escolha de crer que o determinismo é verdade! Pensar que está determinado a crer que tudo em que se crê é determinado produz uma espécie de vertigem. Ninguém é capaz de viver como se tudo que pensa e faz fosse determinado por causas fora de si próprio. Mesmo os deterministas admitem que temos de agir “como se” tivéssemos livre-arbítrio e, assim, ponderar nossas opções e decidir qual rumo tomar, ainda que, no fim das contas, sejamos determinados a fazer as escolhas que fazemos. O determinismo é, portanto, uma perspectiva impossível de viver.

Isto apresenta um problema real não apenas ao calvinista, mas ao naturalista. Pois, na medida em que o naturalismo implica que todos os nossos pensamentos e ações são determinados por causas naturais fora de nós próprios, o livre-arbítrio é ilusão. Não podemos, porém, escapar desta ilusão e, assim, devemos continuar a fazer escolhas como se tivéssemos livre-arbítrio, ainda que não o tenhamos. O naturalismo é, portanto, uma cosmovisão impossível de viver.

- William Lane Craig