English Site
back
5 / 06

#665 Uma reformulação da premissa causal do ACK

February 02, 2020
Q

Caro Dr. Craig,

Sou grande fã do seu trabalho e sempre visito seu site para esclarecer os argumentos teístas a favor da existência de Deus. Hoje escrevo com uma pergunta sobre o argumento cosmológico kalam, talvez meu argumento favorito de todos que o senhor apresenta. Sempre pensei que a primeira premissa do kalam é a mais certa e evidente possível e sempre fico estupefato ao ver quem duvide dela (o engraçado é que nunca vi ninguém duvidar da premissa 1 [P1] fora do contexto do argumento para a existência de Deus).

Porém, em minhas discussões, costumo ver que a palavra “causa” é a causa (trocadilho proposital) de muita confusão e rejeição. Há quem se incline a enxergá-la como uma espécie de conceito fora de moda (!), próprio a uma era não-científica (e não-quântica). É por isso que venho pensando numa formulação diferente para a P1 que poderia preservar sua essência e verdade, ao mesmo tempo que evita todas as objeções advindas da noção de “causa”.

Sei que o senhor mesmo modificou P1 para P1’ (“Se o universo passou a existir, o universo tem uma causa”) para evitar alguns desses problemas, mas fico me perguntando se não há uma formulação ainda mais fácil que mantenha o sentido da certeza intuitiva de P1 (algo que, segundo penso, P1’ relaxa um pouco). Seria algo assim:

(P1’’) “Tudo que começa a existir vem de outra coisa”.

P1’’ evitaria (segundo me parece), com mais facilidade do que P1, as objeções relacionadas a partículas quânticas virem supostamente à existência sem uma causa, pois é evidente que elas não vêm “do nada”, mas “do vácuo quântico”, que é algo. De P1’’ e P2 (“O universo começou a existir”), seguir-se-ia C: “O universo veio de outra coisa”. E, então, a mesma análise lógica valeria para esta “outra coisa” para derivar de sua natureza os atributos que a assimilam a Deus. Pois bem, o que acha? P1’’ lhe parece tão verdadeira e evidente quanto P1? Ou o senhor vê nela alguma falha escondida que não consigo captar? Ficarei muito grato com sua resposta! Deus abençoe sua vida e seu ministério!

Enric

Espanha

Spain

Dr. Craig responde


A

Embora não veja nenhuma necessidade de abrir mão da noção de causalidade, Enric, penso que sua reformulação é perfeitamente aceitável e adequada para quem estiver tropeçando na nomenclatura, se a julgarem proveitosa. Acho que, nesse mesmo sentido, a reformulação

(P1*) Tudo que começa a existir vem a existir por meio de outra coisa

é ainda mais clara. Segue-se daí que o universo veio a existir por meio de outra coisa.

Imagino que quem rejeita a formulação causal também rejeitaria nossas reformulações, mas você talvez esteja certo de que tais reformulações, ao desvencilharem o argumento da linguagem de causalidade, possam ajudar algumas pessoas a verem mais claramente a força do argumento.

- William Lane Craig